31 agosto 2007

Sexta-feira, Agosto 31

@-Calma boneca!

@-O Jornal Nacional em estado de pura arte, fez um recorte (edição de matéria) romântico-realista com toques de concretismo sobre a reunião ontem no Palácio do Planalto. Quem assistiu a matéria teve a nítida impressão de anacronismo-pseudo-anarquico , de bate cabeça entre Ministros. A reunião de ontem não teve caráter deliberativo ou anunciativo, a reunião serviu para discutir temas e amadurecê-los. Sobre os dois bilhões para a saúde: o Governo estuda como liberá-los, e o “anúncio” apregoado pelo JN nunca existiu. A mídia corporativa definitivamente tornou-se um diretório partidário. Eu nunca vi uma meia frase de sete segundos cortada e fundida em outra de 12 segundos (estou chutando os segundos, talvez exagero no tempo). Os segundos valem ouro na TV-diretório. Amáveis leitores imaginem quando a NET-digital entrar na TV?! Edições serão feitas por cineastas, jornalismo será feito por antropólogos, sociólogos, arqueólogos do presente-imperfeito e psiquiatras da urbanidade opinativa-consumidora, a “realidade’ virtual-imaginária criará um mundo à parte”.

@-A elite ‘cansada”, não vai gostar, não vai não! O Governo Federal vão aumentar o repasse financeiro para o programa Bolsa Família, o aumento entra em vigor em 2008. Benefício mínimo do programa aumentará de R$ 15 para R$ 18, e o máximo, de R$ 95 para R$ 102. Em vez de atender jovens de até 15 anos, serão atendidos em cada família três filhos com idade até 17 anos.

@-Amaveis leitores. Quem matou a Thaísssss?

@-Blog também é prestação de serviço: O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, nesta quinta-feira, o calendário eleitoral para 2008. O dia para a eleição municipal em primeiro turnos será 5 de outubro, primeiro domingo do mês e o segundo turno (cidades com mais de 200 mil habitantes, se houver, é claro) será no último domingo do mês de outubro, dia 26. Só vinte e um dias para a disputa em segundo turno!

@-Frase comparativa da Sambu: "O legado do meu governo será a consolidação das políticas sociais. As realizações sociais, econômicas e políticas desse governo só serão comparáveis com o governo Vargas". Presidente Lula

@-Tirinha de Colunista: “Aécio Neves e José Serra concordam inteiramente: "Estaremos ao mesmo lado na eleição de 2010". Podem dizer o que quiserem com sinceridade ou não. Faltando 3 anos, são indissolúveis e irrefutáveis. Quando chegar a hora de definição, podem dizer como FHC: "Esqueçam tudo o que disse ou falei". Em 2002, Serra afirmou: "Minha vez é agora, estou com 60 anos". Portanto, em 2010, estará com 68.” Helio Fernandes / Tribuna da Imprensa

@-Perguntas...Perguntas: E a lista de furnas? Era mesmo falsa? A Policia Federal não estava investigando? Vai voltar?

@-Tirinha de Jornal: “No vale tudo contra o ex-ministro José Dirceu, a mídia golpista divulgou na quarta-feira uma “informação”, que certamente obteve numa cocheira (ou quem sabe, numa estrebaria), de que o doleiro Lúcio Bolonha Funaro aproveitando-se de um acordo de delação premiada teria feito “novas revelações” que “complicariam” a vida de Dirceu. O doleiro teria dito que o ex-ministro José Dirceu “pode ter recebido 500 mil por fora de fundos de pensão”. Prova, ele não apresentou nenhuma. Ele só ouviu falar. No próprio depoimento, Bolonha disse que “não sabe se [foi] destinado ao próprio deputado”. Jornal Hora do Povo

@-“José Sarney foi a testemunha mencionada pelo senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA) da alegada "tentativa de extorsão" de Pedro Calmon (pai), advogado de Mônica Veloso, antes de estourar o escândalo: Renan Calheiros pagaria R$ 20 milhões, para repor os "prejuízos" da ex-amante, ou "acabaria em uma CPI". Sarney - que ainda não falou sobre o assunto - se irritou e "passou uma descompostura" em Calmon, diz outra testemunha.” Claudio Humberto

@-“Se os veículos da imprensa corporativa ventilam a possibilidade de o PT construir um nome não-petista para a sucessão presidencial em 2010, para as correntes do partido essa hipótese não existe. É o que afirma Joaquim Soriano, da tese "Mensagem ao Partido". "Em todas as eleições presidenciais - são cinco, o maior período na história republicana - o PT concorreu com a candidatura do, hoje presidente, Lula. Isso é um capital político inestimável para qualquer partido", avalia. A articulação em torno de nomes como Ciro Gomes (PSB) ou Aécio Neves (PSDB), portanto, não é cogitada pela militância. "Na próxima eleição, o PT deverá apresentar candidatura para dar continuidade a essa rica experiência. Esse é um tema consensual no PT", revela Soriano, para quem a defesa do governo deve ser central no 3º Congresso. "Para nós, defender o governo é condição inclusive para que a contribuição do partido ao governo tenha mais legitimidade e eficácia", garante.” Renato Godoy de Toledo, Brasil de Fato

@-Última: tirinha do André Dahmer (Malvados)

Nenhum comentário: